Gestão das OSCS que atuam no campo das políticas públicas: desafios contemporâneos

“Uma equipe chave é parte indispensável da comunicação para o bom andamento das atividades, podendo auxiliar em várias fases e gestão de um projeto específico e de alguma forma tem poder para influenciar o andamento do projeto” e dessa Co Causando por aí semana .#CausandoPorAí #capacitação #CriançasEAdolescentes #projetossociais #UmSocial #gestão

Dia de Doar: sua doação muda o mundo

Procure um projeto social próximo de você e faça a diferença na vida de tantas crianças e adolescentes atendidos nos diversos municípios do Espírito Santo.

#Diadedoar #givingTuesday #OSCs #TerceiroSetor #institutolaudino

Capacitação continuada no Terceiro Setor: fortalecer equipes e viabilizar a sustentabilidade

Dani Laudino é assistente social, especialista em gestão social com mais de uma década de experiência no Terceiro Setor e escreve semanalmente para a coluna Causando Por Aí do Um Social. Fale com a coluna: causandoporai@umsocial.com.br

E você, já desenvolveu trabalhos voluntários?

Fundaes – Federação das Fundações e Associações ES CDMEC – Centro Capixaba de Desenvolvimento Metal MecânicoAssembléia Legislativa do Espirito Santo #NúcleodoTerceiroSetorOtacílioCoser Instituto Laudino #trabalhovoluntario #voluntariadocorporativo #terceirosetor #terceirosetor_es #PortalUmSocial

Causando Por Aí: Dani Laudino é a nova colunista do portal Um Social

Especialista em gestão social com mais de uma década de experiência no Terceiro Setor, Dani assina a coluna Causando Por aí que estreou no dia 20 de outubro de 2021

Sempre às quartas-feiras, a colunista apresenta os últimos assuntos de destaque no Terceiro Setor capixaba. Notas, informações, agendas e debates sobre diversos assuntos farão parte desse novo espaço

Ação Social X Assistência Social: entendendo os conceitos para fazer a diferença

Coluna Causando Por Aí do Portal Um Social

Dani Laudino é assistente social, especialista em gestão social com mais de uma década de experiência no Terceiro Setor e escreve semanalmente para a coluna Causando Por Aí do Um Social.Fale com a coluna: causandoporai@umsocial.com.br

Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e as boas práticas

Coluna Causando Por Aí do Portal Um Social

Dani Laudino é assistente social, especialista em gestão social com mais de uma década de experiência no Terceiro Setor e escreve semanalmente para a coluna Causando Por Aí do Um Social.Fale com a coluna: causandoporai@umsocial.com.br

Quando e como se aprende a andar de transporte público?

Jpeg
Mão da mão segurando a mão da filha

 

 

 

 

 

Como um usuário do transporte público conhece o Sistema(rodoviários, itinerários, horários do transporte público…) de tanto que utiliza(uso diário) e por quanto tempo(horas de seu dia). Sendo assim, geralmente, das 11h às 14h, devido `a saída e entrada de estudantes nas escolas, o transporte público circula com passageiros acima de sua capacidade normal.

Em um dia desses, às 13h, não foi diferente. Estando já há um tempo dentro do ônibus, consegui uma cadeira para sentar em alguma altura da minha viagem apertada (pela hiperlotação), mas, sentada, já me sentia privilegiada.

A viagem segue e o ônibus entra em mais um terminal rodoviário, e em vez de pessoas desembarcarem, sobem mais. E nessa hora começo a ouvir um diálogo entre uma mãe e sua filhinha, que aparenta ter uns 10 anos.

A mãe diz: – filha encosta bem perto dessa cadeira (onde estou sentada). E ela continua a falar com a filha: – Não se preocupe (seria com a hiperlotação?). E completa as recomendações com uma ordem: – Segure bem a minha mão, pois eu estou te segurando.

Essa mãe iria “espremida” segurando somente com um braço num ferro do ônibus e com a outra mão segurava a sua menina que também iria “espremida” entre bolsas e pessoas, pois ela era baixa e pequena.

Sobre o diálogo entre a mãe e a filha, eu fiquei pensando: quando ela diz “segura a minha mão” e ” eu estou te segurando” seria para que a criança não ficasse assustada? O gesto dessa mãe significa também “ninguém largar a mão de ninguém” até mesmo quando todos estão espremidos, sem lugar para segurar e se sentirem firmes, mas ainda assim cuidarem da segurança uns dos outros?

Lembrei-me de toda a minha fase da primeira infância e de como a minha mãe teve que ter sabedoria para me ensinar “quando e como se aprende a andar de transporte público” e ainda ser grata por poder “pagar” e gozar do Direito de ir e vir com a única opção de transporte público no estado do Espírito Santo – ES, o ônibus.

Danielle Laudino

Amor a fotografia.

MIRROR

Il mondo è colore, musica e suoni. La fotografa Danielle Laudino ci fa conoscere attaverso le sue foto il suo panorama interno.

  • Qual è il tuo rapporto con la fotografia?

La fotografia per me è semplificare un tema complesso in un clic, non per essere superficiale o mitigare, ma causare una riflessione profona a partire dall’oggetto fotografato. Attirare per la prondità della comprensione che si propone con la foto.

  •  Cosa vorresti trasmettere alle persone quando guardano le tue foto?

Prima io conoscevo questi luoghi delle foto per averne sentito parlare e per mezzo di parole stigmatizate. Per questo, sono stata in questi posti per vedere e conoscere con i miei punti di vista. Non è che sia la migliore versione, ne l’unica, ma è per far si che gli altri vedano con occhi differenti, una visione che mette a fuoco ma che  non limita.

Per esempio: il mio modo di parlare…

Ver o post original 301 mais palavras